segunda-feira, agosto 31, 2020

O blog redundante


Fui dar uma vista de olhos por aí e percebi que ou mudo o que vou postando por aqui ou abandono isto. Não tenho nada de novo para dizer que possa encaixar neste formato de livro-de-reclamações-descomprometido e isto começa a confundir-se com alguma escrita mais séria que vejo por aí. A realidade ultrapassou a ficção há muito e eu não tenho tempo e espaço mental para imaginar realidades piores que esta. Lembro-me sempre do Carlin a reclamar e tento adivinhar quem o ouviria hoje, quando parece que o niilismo passou a ser a ideologia de quem está no poder. Agora não sei bem que diga, fazer reclamações já não é revolucionário nem edgy, é só uma perda de tempo que alimenta os ideais errados. Sendo preciso dar um volta a isto para não morrer de velho, acho que vou começar a falar das coisas que estão bem no que está mal. É só uma experiência, talvez resulte. Se não der nada, volto aos clássicos.

terça-feira, agosto 18, 2020

Lido muito mal

Lido muito mal com o abuso quando é sistemático e com as pessoas que fazem disso carreira. Pessoas que se aproveitam das fraquezas dos outros para lhes subtrair dinheiro, isso mete-me a ferver. Quando o fazem para lhes subtrair poder, mete-me nojo mas até entendo. Quem é que não tem a tentação de ser chico-esperto? Hoje vou contar dos que metem nojo:
Os políticos populistas (sim, é o Ventur*) que alimentam preconceitos e os usam como alavanca. Que se aproveitam das nossas faltas e fraquezas que temos cá para brilhar e tomar vantagem. Nomeadamente: a falta de cultura de debate. Isto vê-se no prós-e-contras, que deveria ser chamado de prós-e-prós este tempo todo. Não estamos habituados a debates e o facebook não veio ajudar, especialmente para a esquerda moralmente superior que assume que o mundo está meio resolvido quando não reparou que isso é só impressão porque vive em Arroios. Os trolls da alt-right e os nazis que andam a espancar pretos gays e ciganos continuaram activos e são muito melhores a fazer memes sobre a Joacine, que nunca fez mal a uma mosca, do que esquerda a promover uma causa que coitada, dava como ganha. Agora, face a argumentos* como o do "marxismo cultural", ou "os anti-racistas é que são racistas", anda completamente abananada. Bom, tempos agitados se aproximam. O Covid só vem extremar tudo isto.

*não são argumentos, mas sao repetidos tantas vezes que consomem o oxigénio todo da sala, tipo Trump (diz uma barbaridade tão grande que quem está habituado a tentar manter a civilidade irá perder meia hora a desmontar um argumento de 10 segundos, sendo trucidado por 13 novas barbaridades entretanto).