terça-feira, julho 13, 2021

Caos amor ódio

Eu gostava de gostar de ser organizado, mas até a organização do outros me enjoa, é uma arrogância muito grande esperar que o universo alinhe para que qualquer coisa seja feita à nossa vontade. Ter tudo à minha medida é um luxo abismal e isso consegue-se com muito esforço, todos os dias.

quarta-feira, julho 07, 2021

Vacinado

Agora que estão a vacinar mais e mais gente, os negacionistas levam a vacina e calam-se. Com sorte, daqui a uns meses já nem se lembram que um dia foram negacionistas e a vida continua como antes.

quarta-feira, junho 23, 2021

Anémonas

As anémonas são animais que colam um pé às rochas e ficam à espera de alimento. Lido com anémonas diariamente. São fáceis de manter, mas às vezes são chatas. Crescem muito devagar, muito moles, reagem muito lentamente a tudo o que lhes dou. De tempos a tempos deixo de as alimentar um dia ou dois só para ver se não as estou a alimentar demais. Podem estar a enjoar, um amigo meu tem uma vesícula preguiçosa a também lida mal com comida a mais. Faço isto todos os meses e depois descubro sempre o mesmo: não, não estou a alimentar demais, é mesmo assim. Mas como não reagem a nada, é tão complicado perceber se estão realmente a crescer. Penso nisto e conto as vezes em que quase tenho saudades dos peixes de aquário e da azáfama que era a vida com eles. Quase queria que esses tempos voltassem, mas não sei se tinha paciência para os acompanhar.

segunda-feira, junho 14, 2021

Vou dar um tempo

 Pela primeira vez em muito tempo, fiquei na dúvida se faz sentido continuar este blog. E é só pelo título, que já não me faz sentido. Perdido o caralho, tou é farto de andar sempre a olhar para as paredes. Falar de televisão, internet, política ou pessoas tem mais interesse. Só não o faço mais por falta de jeito, temas e ideias não faltam.

quinta-feira, junho 03, 2021

Não tenho sono

Ali em baixo, perguntaram ao polícia se o banco de Portugal estava coberto de tapumes por alguma razão em especial. O polícia não sabia nada, mas querendo dar a entender que estava por dentro do assunto, foi buscar uma daquelas mentiras feitas com verdades antigas. Notava-se que à medida que a debitava ela ia ficando mais fraca, até que deixou de se ouvir.

O gato come ração de tamanhos variados, ora mais ou menos granulado, pedaços maiores ou menores, mastiga mais ou menos, mas sempre a mesma medida de ração. Ele percebe que tem fome, mas como os miudos a quem trocam uma nota por duas moedas, acho que se deixa enganar pelo número de pedaços que lhe cobrem o prato. O que quer que cubra melhor o fundo do prato é o que deve ser a comida mais indicada.