segunda-feira, outubro 12, 2020

A máquina da empatia

Daqui a 10 anos só haverá 2 grupos no facebook, os pró-crianças-com-cancro e os anti-pedófilos-canibais. A realidade não gera emoções suficientemente fortes para defender online.

sexta-feira, outubro 02, 2020

Coisas mais que lógicas que melhoram a vossa vida I

O último campo a ser preenchido num email é o destinatário.
Não questionem.
De nada.

quarta-feira, setembro 30, 2020

O tal debate

Quando se quer arrumar um bully, leva-se o bully a um debate?

segunda-feira, setembro 28, 2020

Descobrimentos

 Descobri que tenho um método de trabalho, chamo-lhe trabalhar de rajada. Pego em 12 tarefas diferentes ao mesmo tempo, entro num transe de stress e genialidade e muito muito lentamente, 12 diamantes emergem no dia em que ficou acordado terminar tudo. Depois fico duas semanas a procrastinar.

Passado um mês, descobre-se que os diamantes são ocos.

sexta-feira, setembro 25, 2020

Prós e Contras

 O problema do debate por cá é que não gostamos de debater. Por causa dessa falta de hábito, os argumentos são pouco honestos e rapidamente ambos os lados perdem a razão. Outro fenómeno mais dificil de reparar é que a representação dos extremos é muito desigual. Poderão achar "mas agora isto é tão politicamente correcto". Mas na verdade a sociedade portuguesa é muito politicamente incorrecta. Posso arriscar que é constantemente politicamente incorrecta e que de tempos a tempos, tem consciência do que seria uma resposta politicamente correcta, e mesmo quando tentam emendar a mão, falham. Basta olhar para os programas da manhã. Raramente promovem uma ideia progressista que seja. Por exemplo, vamos falar de Descobrimentos. Não há, em nenhum programa de tv generalista uma menção aos Descobrimentos que seja menos que a pintura de um passado glorioso. Se encontrarem algum programa da manhã a promover uma visão um poucou menos que positiva dos descobrimentos, mostrem-me isso. Gostava de ver.

Antes pelo contrário, o que encontramos na televisão generalista é uma visão que insiste em normalizar muitas atrocidades. O que sinto falta é de gente que represente o extremo oposto desta visão. Portanto, e inspirado num post deste blog que sigo há muito, deixo este exercício de tradução: um glossário a ser usado da próxima vez que alguém aborde o tema dos descobrimentos na televisão:

 Escravos = Reféns

Negreiros = Traficantes de pessoas

Amantes = vítimas de violação

Disciplinados = Torturados

Comércio de escravos = Rapto

E assim finalmente haveria uma voz politicamente correcta na televisão.