segunda-feira, março 30, 2015

Apocalipse, um passatempo

Tirem-se as medidas, a olho, de prédios devolutos. Pode-se fazer uma boa estimativa usando um pau e a sombra de um adulto, para comparação ( isto se tirarem as medidas rapidamente ). Com giz, marcam-se no chão as janelas, rebatidas em método de monge. Dentro dessas marcas, fazem-se, à vez, apostas em como as janelas correspondentes, em queda por derrocada devido a negligência do senhorio, se abrirão ( ou não ) por inércia. Pode apostar-se com gatos, vizinhos, gatos de vizinhos, carrinhos de bebé cheios ou não, computadores,  ou adultos toscos. Ganha aquele que tiver mais janelas com items intactos ou com pouco estrago. A destreza está em escolher objectos valiosos mas com um perfil mais estreito. O jogo acaba com destroços.

terça-feira, março 24, 2015

A falta de gosto é um problema mental

Ter falta de gosto é um problema cognitivo sem remédio:
Um escritor que ganhe o prémio nobel pode ser disléxico.
Um escritor que ganhe o prémio nobel pode não ter mãos.
Um puto que pinte postais da unicef com a boca dificilmente terá bom gosto e nunca vai ganhar o prémio nobel da literatura. Pode ganhar o da quimica, se concorrer um novo sabor para cola para selos ou um método para limpar a água do Tejo.
A falta de gosto não se discute. É como tentar convencer alguém que tem de ser mais inteligente.

A falta de gosto é o que causa guerras, fome, doenças e gonorreia.


quinta-feira, março 19, 2015

Perder um filho

O título do post é clickbait. Vem a propósito disto: Os chips para localização estão a desenvolver-se mais e mais rápido. Há-os de vários tipos, aplicando várias tecnologias. Para carros, mercadorias, telemóveis ou gatos.
Daqui a 2 anos meto um chip que mal se nota na carteira e nunca mais a perco num balcão do café. Já há serviços de localização e devolução de objectos perdidos.
É uma questão de 5 ou 10 anos até aparecer uma empresa com esta proposta: meter um chip nos miudos para nunca os perder ( e também os poder vigiar a todo o momento, claro ) e clamar que qualquer pessoa com bom senso não vai deixar de o fazer, sob pena de ter de viver com a consciencia de que não fez tudo o que estava ao seu alcance para prevenir tragédia X ou Y. A publicidade nisto é optima e as redes sociais, ainda mais. A questão ética do dia é: Chips nos miudos, sim ou nao?

terça-feira, março 17, 2015

Só mais 60 anos

Prezado anseia usar a internet daqui a 60 anos, quando os miudos que já nasceram com internet morrerem com toda a sua vida fotografada, filmada, registada, relatada, comentada, escrutinada e vivida por outros em oculos VR online para que finalmente se calem todos com a fascinação com temas que nunca tiveram interesse.

Sim, vocês doentes com marcas de cadeiras de bebé, comida saudável e pedagogia nazi.





quinta-feira, março 12, 2015

Como é que se chama o primeiro guitarrista dos Happy Mondays, que não me lembro?

Devia haver uma cadeira, ou pelo menos pós-graduações, ou workshops de name-dropping. O name-dropping teria ajudado bastante a manter-me no círculo dos bem-pensantes e dos iluminados-por-osmose, que no fundo vêem o mesmo que eu, mas não se esquecem da referência bibliográfica atempadamente, mesmo em conversas informais.