segunda-feira, outubro 16, 2017

Eu ainda sou do tempo

Se esta merda toda acontecesse nos tempos do Passos, eu ia exigir a cabeça dele e estaria a desenhar 14 tipos diferentes de bandejas para ter a certeza que ela era bem entregue.
Tenho de ao menos tentar ser consistente. Demite-se ou não?

sexta-feira, outubro 06, 2017

Estava na internet a ver umas porcarias

Lembrei-me que quando era pequeno, ensinavam-nos  na escola alguns factos de que eu desconfiava. O meu pai também me ensinava a desconfiar ainda mais, especialmente no que toca a verdades absolutas ditadas por alguém "A terra tem 2000 milhões de anos, dizem eles. Como é que podem saber? É uma estimativa. Não pode ter 2001 milhões de anos? E 2002?". E assim fui ficando mais desconfiado. O problema de abrir a internet e ver umas porcarias só pela piada é descobrir que há gente a desconfiar demasiado de factos que estão comprovados há séculos - aqui estou a pensar naqueles trolls da terra plana - e a querer descobrir uma alternativa à roda todos os dias.

quinta-feira, setembro 28, 2017

Eu até tenho amigos pretos

Pessoas que praticam actividades salutares como o golfe, a vela, o hipismo e as promovem naturalmente e com gosto, mas acrescentando no meio o reparo "ao contrário do que dizem, é bastante acessível, qualquer pessoa pode praticar".
É que nem por isso.

quarta-feira, agosto 30, 2017

A porra dos livros

As premissas: desenhar princesas e dragões para meninas e aventuras e ciência para meninos é parvo. Um autor - ou uma empresa - devem poder publicar o que entendem.

A história, vista daqui:
Primeiro acto: Diz-se que o livro das meninas toma-as por burras, baseado num jpeg com 2 páginas. As pessoas confundem tudo.
Segundo acto: O RAP faz uma análise cómica de 4 páginas do livro onde desmonta a ideia dos níveis de dificuldade diferentes. As pessoas confundem ter piada e ter razão.
Terceiro acto: Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género publica um parecer que tem muitos pontos. As pessoas não os lêem. As pessoas confundem um parecer com uma tentativa de censura.
Segunda parte do Terceito Acto: A Porto Editora retira os livros do mercado. As pessoas confundem isto com censura. Outras pessoas acham que não chega o livro sair do mercado.
Quarto acto: Prezado lê o parecer da comissão que sabe mais que ele sobre descriminação de género e as ultimas linhas são assim:

Eu sei que é pouco espetacular para um jpeg, mas é o que retiro de 5 dias de gritaria em todas as direcções no facebook (porque no mundo real ninguém debateu isto mais que 1 minuto).

domingo, agosto 20, 2017

Almoço de família

De uma vez descubro o que é o piewdipie, o d4rkframe, o despacito e a falta de paciência para youtubers.