terça-feira, junho 30, 2009

A verdadeira crise

Já deixei passar alguns números, posso dar a minha opinião de uma forma directa e fundamentada sobre o que se passa com a Playboy Portugal : é uma merda.

Desde há meses, tenho dificuldades em dormir porque comecei por ver a Mónica Sofia embrulhada parcialmente género farinheira num maiot prateado em posição de pega-de-caras. Como foi o primeiro, esperei que fosse algo experimentalista.

Depois veio a Claudia Jacques. Melhorou. Começaram a usar cor, mas abusaram no oleo jonhson. resultado: na capa, a menina parece um sapo relusente. Lá dentro, peço toda a vossa imaginação e memoria visual para visualizarem o seguinte: jarros encontrados nas lojas chinesas, com um laço de palha amarrado. Estão a ver? Pronto. Fizeram o mesmo com a miuda. Mas com tule. Consegui ver coisas que só pensava ver em mamografias.

Depois, veio a Ana Malhoa. A única porn-star do país. A capa até prometia. "Olha, tem uma tattoo". Mas lá dentro conseguiu-se ver é que a miuda tem o catalogo todo da BadBones tattoo, e algumas delas até usa repetidas. Mamas camaleonicas, cada uma aponta em direcções diferentes entre takes. Assusta.

Finalmente, aparece a capa com a Rita Mendes, claramente a fazer uma palpação, atentamente despistando nódulos ou quistos. Uma iniciativa que muitas associações aplaudiram, mas que seria de esperar numa revista do IPO. Lá dentro, as poses são tão sexys como feitas para um catalogo de bordados da Madeira.

Ao longo destas edições, perguntei-me onde andou a direcção de arte, onde andaram os tipos da pós-produção, os maquilhadores, os cabeleireiros, e todo o staff que era suposto aparecer numa Playboy. É uma hecatombe titanica, e tenho o Medina Carreira a confirmar-me que a crise não passará enquanto a Playboy PT não causar uma erecção a um adolescente que seja.

2 comentários:

António P. disse...

Caro Prezado,
A solução será a próxima capa será com o Medina Carreira.
Com ou sem direcção de arte, com ou sem pós produça~p, etc, etc...será um êxito.
Um abraço

Fernando Lucas disse...

os livros educacionais para crianças são mais hardcore que playboy portugal