segunda-feira, fevereiro 15, 2010

Dia dos namorados, claro

Não podia deixar de mandar a minha boca sobre o dia mais-criado-pelos-media que existe. Há uns anos bons, ninguém ligava a esta data. Pouco a pouco, os telejornais foram dando-lhe a importância que não tem e ontem, que queira muito simplesmente ir tomar um café pelo Chiado, não havia uma porra de um lugar para sentar na baixa toda. Ainda entrei no Ben&Jerrys ( pela primeira vez na vida ), mas a música de fundo era tão má que eu nem conseguia concentrar-me o suficiente para escolher entre pistaccio ou tiramisu. Os casalinhos todos contentes, a rapar frio e chuva, mas eles, muito românticos, lá foram dar florzinhas e levá-las à Fnac do chiado. Em vez de ficarem em casa e aproveitar o quente da cama....

4 comentários:

Sofia disse...

São as prioridades que temos nos dias de hoje...

Prezado disse...

Nenhuma se vai queixar das flores e do passeio, mas lá no fundo...

Capitu disse...

Mas esta gente lá sabe o que é namorar?
Capitolina

Sofia disse...

Lá no fundo... é igual a tudo o resto. Um cliché.