terça-feira, setembro 06, 2011

Hiperconectividade, relações e direito animal

Um dia destes, estive no chat por wifi do iPod à uma da manhã a explicar à ex em pânico como matar uma barata.

6 comentários:

Maria Papoila disse...

Estando eu em Angola, sentada no sofá a ver televisão, o meu olhar desvia-se para um ponto negro gigante que se movimentava lentamente.

Era uma barata-mutante.

Na impossibilidade de qualquer reacção da minha parte, derivado do facto do "crush" me enojar a níveis para além do aceitável, optei por chamar o segurança da minha casa.

Que se riu bastante perante o meu pânico, apanhou a barata com as próprias mãos e ainda a abanou suavemente à minha frente com uma dentadura branca luzidia totalmente exposta.

Segurança que é segurança, protege o segurado contra vários perigos.

clara disse...

Como?

Xuxi disse...

Maria papoila e não a comeu?

Maria Papoila disse...

Hum...À minha frente pelo menos não!

Jibóia Cega disse...

E que técnica recomendaste?

Malena disse...

Eu uso o sapato! ;)