segunda-feira, novembro 14, 2011

Esquadra

No bar a conversa subia de volume e descia de nível, a guerra dos sexos continuava, discutia-se experiência versus exigência, cada lado da discussão a querer ratificar a azelhice natural do lado oposto, o quão complicadas são as mulheres obviamente o quão complicados são os homens - mas não são porra é simples vocês é que são uma puta de um puzzle não há duas iguais porra metam isto na cabeça. Noite vai alta nisto desaparece uma mala, a chuva começa a cair a caminho da esquadra.
A esquadra é um calabouço onde se prendem polícias. O relógio de parede da loja dos 300, os azulejos um sim outro não rachados a parede que não vê tinta há anos o computador que tem tanta memória como uma máquina de escrever, a luz quase morta. Tudo para que não tenhamos vontade de voltar lá.
À saída, a chuva mais que muita obriga a retirar para arcos e ruelas, aquele trovão que acordou meia Lisboa aparece, de 10 metros fazem-se 100, uma molha seguida de um taxi a estufar a 35 graus dá origem a uma bela constipação.

4 comentários:

Wiwia disse...

Nitidamente castigo por contrariares uma mulher. Vocês não metem isso na cabeça, depois adoecem.

Prezado disse...

Errado, e a meio da discussão dissemos isso, é tentar argumentar com lógica. É um cansaço, nisso estamos condenados a perder: vocês nunca a usam.

Wiwia disse...

Outra coisa insuportável na condição masculina é a rabugice do enfermo. ;p

Crente disse...

As melhoras.
E que a constipação também passe rápido.