sexta-feira, outubro 12, 2007

Lá está...

Taxista de ontem à noite:

-"É para onde?"
-"Para o cemitério de Benfica, por favor." - A partir daqui, fico à espera.
-"Eh, mas a esta hora tá fechado. É para dentro do cemitério?" - sorriso maroto na cara, a olhar para trás.
-"eh-eh não, é cá fora.."

Para os taxistas que lêem este blog: Ouçam coisas novas. Re-inventem-se, como dizem as bichas.
O Tony de Matos já morreu há 20 anos, UHF tem um careca gadelhudo a "cantar" sempre o mesmo, O Bruno Nogueira tem mais piada que os Parodiantes. As Nossas-Senhoras com o semáforo-miniatura no tablier não vos vão salvar. Pouco cabelo muito comprido, a dar a volta à cabeça e a acabar na testa não é uma "farta cabeleira". Sim, comprem TomToms, mas usem - eu sei que assim é dificil ir da Portela ao Rossio passando por Sintra. Não partam do princípio que toda a gente é do Benfica. O Berardo não é um heroi nacional. E, por favor, não peçam para o Salazar voltar, já temos um governo à altura.

Deitem fora o livrinho das piadas que vinha com o taxi, vá lá.

8 comentários:

Vee disse...

Excelente! hehehe

Mamã disse...

Tenho uma ideia genial para ti. Tira a carta e pára de andar de táxi ;) looool

Susana Rodrigues disse...

E já ouviste um taxista de Lisboa descrever-te todo o seu precurso como dançarino dos Alunos de Apolo? Inclui enumeração exaustiva dos prémios e menções honrosas recebidos (preferes a piada feita ou o improviso destas mentes geniais?)

Perdido disse...

Lindo, um taxista com sensibilidade artistica.
Eu ouvi de uma que tinha uma cassete com sons gravados do inferno...

mãe de dois disse...

Agora percebo de onde vêm as piadas sem piada e fora de moda do meu pai: da juventude dele quando andava com o taxi do meu avô. :-)
Coitado, afinal ele não tem culpa é um estigma!

Susana Rodrigues disse...

Não é estigma "mãe de dois"...é bacteriológico... assim que se entra no lugar do condutor. Como aquelas coisas chatas que trazemos alojadas de países tropicais. Podem estar anos sem se manifestar, mas de vez em quando... lá dão um ar da sua graça (ou da falta dela!)

mãe de dois disse...

CREDO! O meu pai diz que eu conduzo como o meu avô, será que também estou contaminada? (Algo me diz que não devia perguntar isto e que não vou querer saber a resposta)

Susana Rodrigues disse...

Depende "Mãe de dois". Já te chamaram "fogareira" no meio de outros impropérios? ;)

Mas não me parece... tens o profiláctico em casa: os dois "da mãe"