quarta-feira, dezembro 09, 2009

Finger painting, um novo género

Há algum tempo, chegou aos media a notícia que uma capa da New Yorker tinha sido feita em iPhone. Usando o multitouch do iPhone como hardware e uma app, o Brushes, a capa foi pintada à unha ( ou dedo, ou stylus ) e exportada para um formato para impressão. O autor é português, um ilustrador chamado Jorge Colombo. Confesso que para mim, não é digna de registro senão pela novidade, na altura. O folio tem ilustrações melhores e encontro pinturas bem melhores e mais complexas em blogs como o fingerpainted, onde o fingerpainting digital já vai sendo considerado um género emergente. Já a ilustração que apoiava o cabeçalho do Arrumadinho ( Blog já falecido ), fi-la da mesma forma, mas com outra aplicação. Desde aí, descobri uma outra, o Skectchbook Mobile, da Autodesk, que tem dado luta e muito gozo e onde tenho feito retratos como este mais abaixo. A técnica é semelhante ( um simulacro, para quem segue Baudrillard ) à utilizada para pintar em óleo, vou suavizando as manchas maiores de cor, do claro para o escuro, do fundo para a frente, adicionando detalhes, com o dedo. Este retrato é parte de uma série que ando a estudar. O próximo passo é tirá-los do iPod e imprimi-los.

5 comentários:

Miss Kin disse...

Muita gira! Boa narigueta! ;)

Prezado disse...

obrigado!

António P. disse...

Bravo, Bruno.
E eu a pensar que o desenho era à mão.
E no meu de tanta linguagem técnica ( da qual não percebo boi ) o que interessa é o resultado final : bom.
Um abraço

Prezado disse...

Qualquer dúvida estou à disposição, António. O programa realmente simula bem o traçado à mão...

Abraço e obrigado.

nonuts disse...

thx for the link to fingerpainted.it !