domingo, junho 03, 2012

Rir, dúvidas


Prezado foi ao RIR sim.  Não tendo estofo para conseguir colocar em palavras todo o enjoo que todo o conceito de concerto-centro-comercial me faz e estando ainda sob o efeito do concerto do Stevie Wonder, fico-me por aqui. Abaixo, não são fotografias: são videos que só começam a andar depois do leitor perceber o sentido da imagem e da vida. É esperar um pouco, portanto.

Percebo a ideia de haver uma loja de discos num concerto.
Não percebo haver uma de perfumes.
E bancos. E cabeleireiros.

Humanos a ouvir Brian Adams. Cada luz representa um neurónio.

Povo de Plástico. Tribo urbana.

Stevie. Infelizmente só 8 pessoas sabiam as letras e o homem queria que todos cantassem.
Podia ter uma religião se quisesse.

11 comentários:

Jibóia Cega disse...

Ahahaha! Estavas a espera de que?

Wiwia disse...

Cada luz... hihihihihihi.
Gabo-te a coragem, prezadíssimo.

acido acetilsalicilico disse...

Tudo pelo Stevie Wonder(full)!
:p

Prezado disse...

Confesso que até à ultima da hora estive a mentalizar-me para conseguir meter-me neste buraco. Só depois de ouvir o Stevie é que pensei foda-se-isto-valeu-o-guito.

Petra disse...

Adorava ter ido.

stiletto disse...

Dos melhores comentários que já vi sobre o RIR ;)

stiletto disse...

Dos melhores comentários que já vi sobre o RIR ;)

senhorita valdez disse...

foste generoso na parte das luzes.

Courage my love disse...

Odeio o Rock in Rio. Fui uma vez apenas levar uma menina a ver a Miley Cirus, o concerto mais violento da minha vida.

Prezado disse...

O RIR dá-me a volta ao estômago mesmo. Tive de desligar o miolo para não ser velho dos marretas ( e ser só velho ) e curtir o dia.

Tulipa disse...

Valeu a pena, sim!!! Foi fantástico!! Pá, o RIR é um festival familiar, é do povo :)))