segunda-feira, janeiro 26, 2015

Ovários e Louça

Tenho lá por casa, por opção - ou condicionamento genético, se calhar - a louça que preciso. Não costumo oferecer banquetes nem tenciono oferecê-los um dia. Não sou um mestre da culinária nem sei rapar a travessa, etc etc, tenho o suficiente para mim e mais uns quantos. Ponto.
Não sabia que isto era um problema, pensava que era uma só uma característica, uma peculiaridade. Mas sempre que alguém com ovários olha para a louça na cozinha, tem um afrontamento. Há qualquer coisa que deixa as mulheres nervosas quando vêem pouca louça. Esta necessidade de esparramar tudo o que fazem na cozinha ao longo de milhentas peças de utilidades diferentes é fascinante. E como prova que é uma questão genética, tenho de responder sempre às mesmas 6 perguntas:
- Onde é que escondes o açucareiro?
Escondo? Eu não perco tempo a esconder nada. Antes pelo contrário. Há uns tempos, descobri roupa que tinha perdido: estava numa gaveta que não abro muitas vezes. Por mim, todos os objectos da casa seriam possíveis de encontrar com uma busca no google. Porque me esqueço que os tenho. Um açucareiro é como um ninho para formigas. O equivalente a uma daquelas almofadas para os gatos. Não tenho.
- Está na hora das sobremesas. Onde tens as taças?
Não há taças. Não uso taças. Não faço sobremesas. Não preciso de taças. É linear. "ah, mas como é que consegues viver sem taças?". Eu também tenho asma e consigo viver com ela. Imaginem viver sem taças. Custa ainda menos. Claro que fazer acreditar que isto é lógico nunca adiantou de nada. A pergunta "onde tens as taças?" gera sempre polémica e esbracejamento involuntário por parte das mulheres, em desespero. Nunca tive um amigo a perguntar-me onde estão as taças. Ergo, genética.
- Onde estão os copos do vinho?
Uns dirão que sou um labrego pouco sofisticado, outros que sou um anti-consumista, outros dirão forreta. Entendidos dirão que sem uns copos largos que deixem o vinho respirar, estou a perder o verdadeiro prazer de saborear um bom vinho. A verdade: Sou preguiçoso. Isso implicava lembrar-me de ir ao IKEA para tratar disso, quando já tenho tudo o que preciso em casa.
- Os pires do café?
A minha casa é um snack bar? não.
- As colheres do café?
As colheres do café são das peças mais fascinantes logo a seguir às colheres da meia de leite, peças que são usadas para uma coisa só. É como comprar uma televisão que só vai passar o canal 1. Já tenho as de sobremesa. Usem o cabo, como eu. Forma aliada à função.
- Não tens nada para moer ( não é moer, mas não tenho mais termos técnicos ) os alhos?
Facas.


4 comentários:

disse...

less is more. ;)
Mas tens "bomba"!? isso é que é importante ter sempre à mão.

marta morais disse...

as colheres de café são palmadas de vez em quando nos cafés.
comprei um esmigalhador de alhos o mês passado na "feira da ladra" de setúbal (e só o 'meu' gajo é que o usa).
"copos do vinho"?!
esquece, devo ter alguma costela macho aqui pelo meio...

Miss Christie disse...

Tens coisas tããão giras para cozinhar com design e função.
Só um exemplo: http://www.josephjoseph.com/en-eu/product/chop2pot-plus-mini

Não tens taças?!!! :)

Coisas que me tocam disse...

Eu também não ligo nada a esses pormenores sem importância. Tenho em mim, ou sou demasiado prática, ou herdei algo forte do cromossona Y, para além dos pêlos, de resto sou muito feminina :)