sábado, novembro 03, 2007

A começar o fim de semana no campo

Os pequenos almoços de pequeno, ao fim de semana, eram uma festa.
Eram "na terra", na casa dos meus avós. Pão mal cozido, frio, pesado como tudo. Em fatias sempre grandes a lembrar solas de sapatos, com manteiga com sal (que ainda não havia Becel-maricas). Malgas de café com leite enormes a acompanhar. A televisão gigante a preto-e-branco, com um acetato azul à frente - assim já era uma televisão a cores? - com o 70x7, que nunca mais acabava.
E os cheiros. Além do pão e do café, a madeira. Do soalho, das paredes.
E os sons. Do soalho de madeira, com uma tábua solta. Paredes-meias com a sala, a mercearia e os clientes a serem atendidos, a manhã toda. E o sino. O sino da gaveta dos trocos que passava o tempo a tocar; O miúdo ( hoje já deve ser avô ) que conseguiu ir à gaveta umas vezes e lá foi apanhado pela armadilha da gaveta amarrada ao sino, à espera do outro lado da parede, na sala. Mesmo por cima da cadeira do meu avô.

Há gente mais nostálgica que o tuga?

5 comentários:

António P. disse...

O que é uma das qualidades dos tugas.
Um abraço

Susana Rodrigues disse...

Ohohoh, adorava saltar no 1º andar (em tabique) da casa da minha avó, porque fazia tilintar a loiça toda que estava no armário (a loiça dos dias de festa... que julgo ter ido para o lixo sem sequer ser estreada)e pensava qual seria o dia que um salto meu faria a casa ruir... raios, agora fiquei nostálgica e melancólica...

Perdido disse...

Faltava essa, a melancolia. Mais alguma coisa?

Mamã disse...

Vivam os Tugas. loool Boa descrição. Fiquei com fome e tudo.

ar disse...

Sim, tb é disto que gosto nos Tugas. :)
Nostalgia e saudade.

Vivemos tempos da net, do mp3, do blog e coisa e tal, mas tb sinto falta dos cheiros, sons e lembranças de quando brincava no terraço da casa da minha avó, e que vejo todos dias da minha varanda mesmo em frente, mas agora só lá vive alguém desconhecido e que mudou as velhinhas telhas que lá estavam...

É assim, tb sou muito saudosista. Até de tempos que não vivi, o que é mais estranho. ;)