quarta-feira, agosto 18, 2010

Praia

Fui à praia aqui em Lisboa. Curto praia. Muito. A praia foi feita para mim. Mas, há uma especie de lei do mínimo denominador comum que impede as pessoas de chegar à praia e de a usufruírem com recato.

A praia pareceu-me um arraial em Cernache de Monjardim em cima de areia. Não é que queira o oposto, como acontece no Algarve, a merda da Lounge-ização da praia. Não preciso de espreguiçadeiras ao som do Buddha Bar de 2001, a dar ares de uma Ibiza que não temos, mas igualmente dispenso Quim Barreiros.
Concessionários: pensem neste nicho de mercado. Imaginem o pessoal que gosta de sair à noite e beber um copo, num barzinho despretensioso com uma musica agradável, chamemos-lhe indie, pronto, pessoal que curte andar vestido de preto e tal, pessoal que no fundo também pode curtir praia mas que não acha que é preciso vender a alma ao diabo para dar umas cacholadas na água. É que gostar de nadar à cão não faz de mim um labrego sequioso por musica de feira e bolas de berlim.

9 comentários:

Mak, o Mau disse...

Identifico-me bastante com este post, especialmente com o trecho "um labrego sequioso por musica de feira e bolas de berlim".

Prezado disse...

Eu tentei ficar-me por uma opinião sã e construtiva, mas não deu.

anouc disse...

Praia em Agosto é uma autêntica descida aos infernos.
Não te metas nisso.

Maria Amaral disse...

Praia em Agosto, parece-me a mim, é assunto que daria um excelente estudo sociológico.

Maria Amaral

senhorita valdez disse...

discordo veemente da questão da bola de berlim.

Prezado disse...

E se a bola de berlim vier com pronuncia?

Clara disse...

é comic sans, ali?

Prezado disse...

não se diz asneiras, Clara.
É um Mac, essa fonte nem entra aqui.

Clara disse...

parecia mesmo. por isso estranhei.