quinta-feira, agosto 04, 2011

Optopções, um termo inventado.

Desce-se a rua rente à minha rente à Almirante Reis, os prédios roídos uns atrás dos outros seguem-se seguem-me, anoto os números dos prédios melhores aqueles onde um dia viveria, sigo passo largo aí abaixo, paço largo ultrapasso, prédios muitos. Tomo a rua do restaurante com taxis à porta, as portas fechadas mas as luzes fora de horas mostram que é ali que se troca o turno, come-se a bifana, bebe-se a mini segue-se logo depois. Ao lado é o albergue angolano. Um casal deles - podem ser só pretos pois - debate à porta. Ela sobe ou não sobe não subindo Soba ele não é. Passo ao paço antigo, à igreja moderna, subo a rua de luzes acesas fora de horas, depois da noite nos Anjos. O gato roi-me os pés enquanto ronrona e eu vou-em deitar.

4 comentários:

Anónimo disse...

primeiros!!!!!!!!!!!

Maria Papoila disse...

Por falar em Angolanos. Cheguei a Portugal. Fui jantar fora. Ao meu lado estava um grupo de Angolanos.

Eu e eles estavamos a beber Sumol de Ananás. Eramos os únicos do restaurante.

Aculturei-me.

Prezado disse...

Por falar em angolano, Isso lá pelo meio pareceu-me um aiku. Veio à metrópole?

Maria Papoila disse...

Aiquê?

Vim sim senhor. Encontro-me nela de momento.