quarta-feira, junho 05, 2013

Fé na humanidade

Há algum tempo que sou administrador de umas quantas páginas de Facebook. Umas 2 ou 3 minhas, uma do trabalho. A do trabalho, passo por lá só para ver estatísticas e para ver que caminho leva o conteúdo que lá é colocado.
E leio os comentários.
Estou habituado a ler comentários nos jornais online. E no youtube. E ouço os discursos do Passos.
Mas os comentários nesta página do facebook merecem um campo de investigação dedicado a tempo inteiro: nunca vi gente tão burra*. Trocam a caixa de busca pela caixa de comentários. Tratam o post por tu. Tratam o tema do post como uma entidade com vida própria. Falam com o post. Falam com amigos invisíveis com comentários no post. Trocam marcas. Trocam autores. Trocam o post. Reclamam a existência do post. Reclamam ter visto algo no post que não gostam. Reclamam continuar a receber posts. Tomam o Facebook e o Google como entidades simultaneamente omnipotentes e incapazes. E ainda aparece sempre um chico-esperto que sabe tudo e que diz que tudo é Photoshop.

* pensando bem, já trabalhei com um elemento bestialmente burro e a bater a escala. Só para referência, sempre que havia uma reunião, esta tinha de ser interrompida porque ficava roxo e com dores de cabeça com o esforço de pensar tanto.

3 comentários:

São João disse...

As pessoas no geral são muito burras. Às vezes tenho muito medo de ser como as pessoas.

zozô disse...

Sim, mas nada supera a burrice extrema que uma pessoa testemunha em sites como o OLX e afins. Nunca te metas nisso.

Prezado disse...

O mínimo denominador comum é uma miséria. Agora que me estou a habituar a trabalhar com gente com miolos tenho medo de voltar a habituar-me a gente burra.