segunda-feira, julho 04, 2011

Às portas de santo Antão

Os tascos repetem-se porta sim porta não porta sim sim não, as mercearias ainda vendem pasta medicinal coito, piassas piaçabas piaçavas plásticos nossas senhoras e dálmatas de loiça esfregões fitas métricas e bacalhau quem o corta lá em casa são eles óbvio, nisto aparece a mulher possessa e diz que a vizinha do 3º dto que é uma alcoviteira disse que eles não podem ser felizes porque ele até pode cortar o bacalhau lá em casa mas não se deitam à mesma hora nem ouvem a mesma canção e o amor está nos detalhes, não é deus como disse o outro pois não. O sr. Antão pensa que ver o peso pesado ou o gordo - esta mania das televisões com os gordos, fetiche arcaico - a meias com a mulher é quanto baste para manter o fogo da paixão mas não agora tem de deitar-se mais cedo partilhar cama não chega é preciso mais caramba pensa baixinho muito baixinho que ela ouve tudo tudo, deus o dos detalhes queira que ela não perceba que só se deitava às tantas para poder ver a vizinha da Rua das Pretas em contraluz.

5 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

Se é o Sr. Antão quem corta o bacalhau, deve andar com um cheirinho nas mãos...

Prezado disse...

é o cheiro do poder.

Pilar disse...

há quem diga que é o diabo [que está nos detalhes].

Prezado disse...

Vade retro.

Xuxi disse...

Rua das pretas em contraluz so na pensão que te recomendei....