segunda-feira, julho 25, 2011

Reparações em 4 passos.

Por vezes, devido a negligência grosseira ignorância estupidez burrice teimosia inépcia icterícia torácica inercia dispepsia septicemia termos aleatórios ou pção, estragamos orgãos internos. Isto geralmente acontece ao fim de semana. Hoje vou explicar rapidamente como repará-los.


Domine memento mei
1. Onde está o problema?
Procurem dores, tensões, hemorragias. Eu procurei procurei e cheguei à conclusão, estava aqui. Este é o primeiro passo. Não desistam de procurar se os sintomas forem subtis e na primeira sondagem não perceberem bem onde está o problema. Há muitos orgãos, lembrem-se.


2. Abertura e inspecção
Devagar e com calma.

Dica visual indicando setas
Abri-o. Depois de uma secção transversal, com um qualquer instrumento que possa servir para o efeito - o importante é o quadro seguinte, este é apenas uma fotografia de um autoclismo a ser destapado - desde que se obtenha um corte limpo e direito. Aqui podem ver indicado como há dicas visuais para voltar a fechar o orgão depois de reparado.

3. As entranhas, diagnóstico

Esta é a parte que causará mais estranheza. Não estão habituados a ver o vosso interior tão explicitamente. Respirem fundo, evitem movimentos bruscos. Aqui podem ver que do ponto A ao ponto B há algo profundamente negro e estranho. Sigam esta pista.  Empurrando o ponto A, deparar-se-ão com algo no extremo oposto a mexer, encontrando uma possível solução.

25 cl, não poupam água nenhuma assim. Ursos.
4. A solução
Ali estava a raiz de todo o mal. Usei setas mais uma vez, é uma convenção de linguagem visual, as setas indicam que tudo o que está atrás delas não tem interesse ( mnemónica: o símbolo do PSD ). Dei com o problema, que no meu caso era um corpo estranho alojado mesmo lá no fundo. Solução? ocupar o espaço vazio. Aconselho Alka Seltzer, éter, serradura, gunronsans, belimundas ou baltazares, trocos, erva, chumbo ou penas, o importante é que o volume se mantenha para compensar o que está em falta. Volta-se a fechar. Finaliza-se com 2 murros ou só a ameaça dos mesmos para ser mais português e está feito, funciona tudo como antes.

4 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

Este post é um delírio completo, desde a comparação entre o corpo humano e um autoclismo (podia ser pior, porque podias-te ter lembrado de um sanita), até te teres dado ao trabalho de tirar fotos ao dito. Mas a minha parte preferida é "Domine memento mei". ahahahahahah Prezado no seu melhor.
P.S. Tens uma mãos muito sexys, baaaahahahahaha

Maria Papoila disse...

Gostei muito do post. E do ar lúgubre que o interior de um autoclismo transmite.

PS. Concordo com a Julie. Mão sexys, sim senhor.

Prezado disse...

Obrigado Julie, é pedra podes.

Prezado disse...

Obrigado Maria, é pedra podes também