quinta-feira, novembro 11, 2010

No dia do Adeus

Foi o dia em que o senhor do adeus faleceu. Para mim, uma fraude, porque nunca me disse adeus e só o vi uma vez. Sim, o senhor do adeus discriminava as pessoas. Por classes. Sim, quem andava de carro, ele dizia adeus. Quem andava a pé - como eu, heroi da classe operária -, ele já não dizia adeus.

E tenho para mim, que um dia o vi acenar um pouco mais efusivamente para um gajo que ia de Mercedes branco.

Acabei de passar pelo Saldanha, estão cerca de 50 pessoas a dizer adeus aos carros. 11 de Novembro? Feriado nacional, no mínimo.

11 comentários:

Carlos Romao disse...

Nestas coisas, meu caro Prezado, o cepticismo, o não embarcar, o ser a ovelha negra, são boas práticas, perdidas pela cidade.

Cor do Sol disse...

Eu nunca tinha ouvido falar mas depois de hoje e de tanto que li e ouvi falar so senhor já posso escrever uma tese de doutoramento.

Rachelet disse...

O Sr. do Adeus era uma instituição para todos os que passavam de carro em frente ao Fórum Picoas sextas à noite. Se não estivesse a chover, era certo e sabido que lá estava. Apanhei-o imensas vezes. Fiquei desiludida quando soube que se chamava João. Na minha mente, tinha cara de Adalberto.

Crente disse...

Nunca o vi, ele nunca veio para os lados do Norte. Isso sim é descriminação.

Cat disse...

Ontem também atravessei o Saldanha a pé às 23h e qualquer coisa e achei mal que a malta que dizia adeus para homenagear o Sr. do Adeus não me tenha dito adeus... tá mal!

Little Miss Sunshine disse...

Pois e eu nunca o vi. Ontem ainda insisti com toda a gente que falava nisso que se tratava de um mito urbano!

Anónimo disse...

Crente,
diga-me, onde são os lados do Norte?

Crente disse...

Anónimo - eu não gosto, nem quero, ser mal-educada. Mas os meus pais sempre me disseram para não dar muita confiança a estranhos...

xuxidiva disse...

Adalberto? nunca o tomaria por Adalberto tem graca........para mim tinha cara de Alberto Manuel, Filipe Manuel, ou Luis Filipe...Joao Manoel...dois nomes assim condizentes com o habito da época (dele)...
As grandes personagens, serao sempre universalmente encaradas como mitos urbanos...pelas geracoes futuras e por aqueles que nao tiveram o privilegio/ocasionalidade de se cruzar com elas......

Hortelã Pimenta disse...

não sabia q o sr tinha morrido....
:-(

uma perda sem dúvida na cidade de lisboa....

Prezado disse...

não vês muita televisão, aposto.