sexta-feira, abril 16, 2010

Bipolarização

Quando vejo uma manif. em Portugal quase percebo porque é que nos E.U.A. as eleições acabaram numa escolha entre duas opções, republicanos ou democratas. Acho que foi apenas para poupar no numero de cruzes no boletim:

Vamos a uma manif contra touradas? Vamos lá encontrar o dito pessoal contra as touradas, o pessoal ecologista em geral, os verdes, os anti-nuclear, os defensores do fim da experimentação animal, o pessoal do fair-trade, os vegans, os straight-edge, o Miguel Portas, pessoal do bloco de esquerda, a Opus gay, a ilga, feministas, os anarcas, os ateus, os anti-globalização.
Há aqui um padrão? Ora, isto tudo vota à esquerda. Simples.

Vamos a uma manif pró-vida? Vamos lá encontrar o dito pessoal pró-vida, os queques em geral, o pessoal do PP, crianças com balões, o pessoal das famílias numerosas, os católicos, jogadores de rugbi do ISA, a Opus-dei, monarquicos, o André Sardet, o pessoal da associação de combatentes do Ultramar, a minha tia, o meu tio,  o pessoal pró-touradas, forcados ( ou serão jogadores de rugbi, tou na dúvida? ), fascistas, pessoal do PNR.
Pois, parece um padrão novamente. Isto tudo vota à direita.

Depois ainda há uma categoria especial só para o Valentim Loureiro, o Isaltino e a Mafalda Veiga.

> Uma acha para a fogueira, já agora: de que lado da barricada acham que fica um tema não muito discutido na nossa praça ( somos católicos ) , a legalização da prostituição?

4 comentários:

Gata Escaldada disse...

Por um lado é uma medida "fracturante", com é moda agora dizer-se, e que cai bem à esquerda, por outro lado é claramente algo que agradará a defensores do capitalismo, liberalismo e empreendedorismo económico... Boa pergunta!

Capitu disse...

Uma manif. contra tourada é bonito. Eu fui!

Capitu disse...

Ah! E a favor da legalização da prostituição também ia.

Prezado disse...

Gata,

Também não sei por onde iram pegar no assunto: a direita poderá defender a moral e bons costumes, mas a esquerda e o feminismo defenderão a não-comercialização da mulher. Deve ser por isso que ninguém se chega a frente para discutir isto.