terça-feira, abril 13, 2010

Falando em tatuagens I

É uma paixão que tenho, desde há muitos anos. Antes de haver net para procurar novidades. Nunca fiz uma mas já me informei sobre tudo para o fazer. Já me pediram e desenhei uma, um tramp stamp ( felizmente não foi tatu ).  Já pensei em fazer uma 500 vezes, mas nunca avancei porque sou inconstante: Fazia uma e acordava no dia a seguir a pensar que devia ter feito o outro desenho que tinha pensado. Mas sigo as tendências e as descobertas, pela net. Colecciono links sobre, investigo. Gosto de descobrir e catalogar os nichos estéticos e ver o que chamam tatuagem contemporânea. É uma paixão minha, enfim. Também é uma curiosidade mórbida, mas isso é outra coisa.


Há alguns movimentos estéticos base, que depois ramificam, ao sabor da genialidade ou insensatez dos tatuados (cliquem nas fotos para zoom e à vossa responsabilidade, estão avisados. ):


Tattoo fofo. Coisa de gajas, geralmente vem a par com Crafts e essas coisas fofas de gaja. Já disse que é de gaja?



Tattoo demoniaco/tribal. Pessoal do metal, mais nada. Geralmente começa-se por este tipo de asneiras, como padrões e nós celtas e tal. Os tatuadores pagam as mensalidades do colégio dos miúdos só com o dinheiro ganho a tapar tattoos tribais.


tattoo geek. Tenham juízo. Pensem que quando tiverem mais uns anos, vão fazer figura de ursos desactualizados. Imagino-me, se eu tivesse feito uma tatto geek quando fiz um curso de MS-DOS em 87?
tattoo nos olhos ( da cara ). Esta é para quem gosta do dune ou é tosco. Não é particularmente bonito, mas é preciso ter tomates do tamanho de melões para fazer isto.
tattoo visual-gag. Há sempre engraçadinhos, e geralmente são gajos a fazer destas. Piadas a partir do corpo, nomeadamente umbigos, sovacos, rabos, etc. Eu faria uma deste género.

Amanhã continuo a analíse e prometo que desço de nível e mostro dessas tatuagens que estão a pensare.

( fiz-vos olhar para o teclado a ver se o E fica ao lado R, não foi? )

10 comentários:

Capitu disse...

Eu também gosto de tatuagens. Claro que eu é mesmo à gaja: ramo de flores entrançadas no pé e tornozelo; estrelas ou arabescos nupciais nas mães, fadinhas na omoplata, código de barras no fundo das costas, data do nascimento em romano no ombro tipo Angelina Jolie. Mas depois... não, deixa-me cá estar caladinha.

Capitu disse...

* onde se lê «mães», deve ler-se «mãos».(dedos grossos, os meus)

Prezado disse...

Fizeste aí a lista de tatuagens de 90's fatelas. Fadinha no ombro? ainda bem que a mãe não achava bem e não deixou...

Miss Kin disse...

Tramp stamp, ou o nome que mais gosto ho tag...

(quanto às que deixaste aí, ele há gostos para tudo!)

V. ou uma Raquel disse...

rectius: uma e escarafunchar; lembrei-me de uma agora mesmo que também faria: "nao me dou com jente que se de com erros urtograficos"

Prezado disse...

V. ou uma Raquel, porque não uma coisa em Arial, 24 pontos, no estilo: "tatuagem" ?

Capitu disse...

eheheheh... fadinhas no ombro! Piroseira, não é? Eu também acho! Mas sei lá, cola bem com as pin-ups. Ai! você é uma moléstia... não percebe uma gaja.

Prezado disse...

fadinha no ombro é muito fatelo. É ao nível do mini-escorpião na cintura-a-roçar-a-cueca.

V. ou uma Raquel disse...

Prezado: por que (porque é conclusivo) -> arial escorrega e arranha. Florinhas campestres a tornear o tornozão =0; mini-sereia copa D=10 (o que é que isto avança nas nossas Vidas, afinal?) Os parênteses são o que mais importa, discussões em torno de proas enquanto se tem o mar todo para chafurdar é burrice

Capitu disse...

Escorpião a roçar a cueca... ahahahahah... muito bom! Não tinha pensado nessa. E que tal um coraçanito a dizer «Amor de mãe», ou «Mummy, loves ya»...