domingo, maio 01, 2011

Dia da mãe

- Não queres que te leve sopa?
- Não, deixa não é preciso.
- Mas não queres mesmo?
- Não deixa, obrigado.
- Mas não queres? dava-te jeito. Chegas tão tarde do trabalho...
- Bom, não é preciso, sim dá jeito.
- Eu levo-te sopa.
No Dia da Mãe fiquei-me por aqui a bulir e a tentar abrir uma brecha no frigorífico na cozinha no quarto. É que a sopa nunca pode vir sozinha. Vem com mercearia muita e variada. E quando digo muita, é muita mesmo e variada é variada mesmo, no género eu-nunca-compraria-latas-de-pessego-em-calda-foda-se, bolachas de chocolate com cobertura de chocolate, passas ( sim passas ), etc etc.
Percebendo claramente porque razão o dia da mãe calha no dia do trabalhador: Feliz Dia da Mãe.

4 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

Agora que dizes, isso é uma ideia vencedora: juntar os dois dias e por as mães a trabalhar, eh!eh! Vou pô-la em prática e pedir à minha mãe se me faz um leite-creme.

Julie D´aiglemont disse...

Deixei-te um desafio literário no meu blog. Se tiveres tempo e paciência... Beijo.

Prezado disse...

Tenho paciência e sentido de prioridade. Respondo a isso antes de ir acabar aqui um trabalho. É rápido rápido, nem sonhas.

Pólo Norte disse...

:)