sábado, maio 21, 2011

O fim do Mundo

Hoje, ao fim de anos a dividir casa com mulheres, deu-se o ocaso da razão, o firmamento estatelou-se na fossa das Marianas, a irracionalidade e a anarquia do vazio tudo tomaram: o papel higiénico acabou.
Nunca tinha acontecido. Numa casa onde vive uma mulher, o papel higiénico não é suposto acabar como os rios não deixam de encontrar a foz, como o sol não nasce no ocidente, como Zéfiro cessasse de correr, não é possível. Uma mulher tem sempre desde o dealbar dos tempos sempre a noção que rolos de papel higiénico nunca serão na sua casa em numero menor que dois quarteirões, soubesse eu o que é um quarteirão, mas são muitos. A pergunta faço-a, como sempre, mas a réplica ao estafado mas-para-quê-tanto-papel-higiénico-pá-nunca-hei-de-perceber-essa-tara não esperava que um dia fosse esta.

5 comentários:

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Ahahahahah!!!! Um dia é o dia :)

Malena disse...

Ena!!! Tudo menos isso!!! E... foste aos saltinhos, com as cuecas para baixo, até um local onde papel de alguma espécie pudesse ser encontrado?? ;))

Isis disse...

ehehehehe.

Prezado disse...

Atenção, ela avisou que o papel tinha acabado, ainda.
Vivendo com uma gaja, isto é o mais próximo que um gajo fica de ser apanhado de calças na mão. Categoria.

Xuxi disse...

fotos disto é que era...
volto a dizer que fim do mundo é em cuecas, cum o cú borrado ou não!