segunda-feira, maio 02, 2011

Ui como eu curto estas correntes e selos e tal

A Julie passou-me esta batata, que eu curto mesmo batatas, quentes a pular-me nas mãos, bolhas dias de seguida aguadilha e pus, eu aos berros, os gatos, o inferno a 9. E agora vão ver porque é que nunca me calham estas correntes. Cá vai:
 

1. Existe um livro que lerias e relerias várias vezes?

Existe. Seria o Dicionário Enciclopédico Lello e irmão. Reli-o muitas vezes. Gostava de ver as estampas com peixes, anemonas, condecorações, animais, armaduras, espadas, janelas barrocas, pássaros. Ia à procura de palavras como "cona", "rubicundo", "garibaldi", "pua"e logo mais abaixo "puta". Era muito curioso o miúdo. Reli muito livro sobre ovnis. Escusam de torcer o nariz, aquilo é tudo fruto de investigação rigorosa.
 

2. Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?

A Bíblia. Nunca consegui passar do "...e Irade gerou a Meüjael, e Meüjael gerou a
Metusael, e Metusael gerou a Lamequem...". E como era um purista, não concebia passar à frente de uma coisa tão importante como uma lista infindável de nomes bíblicos. Como em tudo na vida: se querem ser ouvidos, simplifiquem a mensagem. Não é culpa minha.

3. Se escolhesses um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?


Esta é difícil, eu sou do género queimem-todas-as-bibliotecas-do-mundo-mas-não-me-tirem-a-net. As Páginas Amarelas? não sei. Respostas poéticas não estou para isso hoje.

4. Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?


O Senhor dos Anéis. Era puto, olhava para aquilo e soava-me à maior chatice do mundo. Quanto mais me impingiam aquilo, mais eu dizia para mim " tanta folha, haja paciência... Espero pelo filme mazé".

5. Que livro leste cuja 'cena final' jamais conseguiste esquecer?


Na altura em que o li, andava com a mania de fazer filmes. Como tal, ia imaginando os planos, um a um. O Perfume. Ainda não vi o filme, para ver se a minha imagem era melhor. Mas era, não tinha classificação menores de 18, pelo menos.

6. Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?


Quando era miúdo lia tudo. Menos coisas que me chateassem. Há um obsessão com o "chato", claramente. Tudo o que não me parecesse uma televisão era chato, acho. Lia muito: rótulos de shampoo, sabonete, pasta de dentes, dicionários, enciclopédias, bulas, legendas dos filmes, livros de exercícios de inglês, Ali's, Asterix's, Disney's - nesta altura tinha já ilustradores preferidos - Spirou's, Marsupilamis, Tintin's, Gaston's, pois parece que era tudo b.d.. Lembro-me de um dia pedir um livro sem desenhos, armado em homem crescido e ter ficado deprimido naquele segundo. Um dia vivido na infâmia, escreveram.

7. Qual o livro que achaste chato mas ainda assim leste até ao fim? Porquê?


Eu podia ter lido qualquer um daqueles clássicos a que era obrigado, porque eram da escola sempre detestei escola, tipo Eça de Queirós, Miguel Torga, mas a verdade é que nunca os acabei. Chato chato chato lido até ao fim... Não, nunca aconteceu.

8. Indica alguns dos teus livros preferidos.


As minha aventuras na república portuguesa
, MEC - aliás gostava de quase tudo deste senhor.
Farehnheit 451
, Ray Bradbury - as imagens, o imaginário.
Pena Capital
, Mário Cezariny - finalmente, quase percebo o que é poesia.

9. Que livro estás a ler neste momento?


Viagem ao País da Manhã
, Herman Ass - Apesar do nome do autor não prometer, o livro é interessante. E longo, para quem só tem de andar 2 paragens de metro, só tenho tempo de ler 2 páginas.

10. Indica dez amigos para o Meme Literário:
10? tantos? deixa cá sortear a batata: Ursa, Le Rachelet, Deus, Pilar, Mak o mau ( desculpa jovem, tinha de por aqui pelo menos o nome de um gajo ) , Sofia Assim , Nebulosa e mais uma alma que entretanto detonou o blog com C4 e que já não vou cravar, ficamos assim. Pronto, 10.

14 comentários:

Julie D´aiglemont disse...

Selo? Que selo, carago? Já te disse que se não me deram selo, também não levas selo nenhum! Mas podes ter a certeza de que se um dia me derem um selo apaneleirado, cheio de ursinhos, coraçãozinhos e merdinhas, envio-to logo.

Pilar disse...

ai que bom! também adoro correntes!

Prezado disse...

Amanda-o, que meto-o ali, junto com os outros todos.

Pilar,

Esta é toda intelectual e tudo. Pelo menos era, até há pouco.

Pólo Norte disse...

Foda-se! Mas eu fiz-te algum mal?

Anónimo disse...

Hesse, caralho, Hermann Hesse!

Prezado disse...

Anónimo,

Não, é mesmo Herman Ass. Nao tás bem a ver a capa do livro!

Rachelet disse...

Epá, mas isto ainda é coisa para me distrair uma ou duas horas do trabalho, coisa que me parece impensável, claro, porque como qualquer boa portuguesa, o que mais adoro é trabalhar...
Mas só porque te tenho em alta estima (e só por isso) e não te quero deixar mal visto aqui, cá vai:

1) Li, reli e tresli Os Maias. Não gosto de repetir leituras, filmes, séries, namorados, nomes de cães, etc., mas este dá-me uma leitura diferente a cada década em que o leio.

2) Os Lusíadas. Óptimo sonífero. Aos «barões assinalados» já eu estou nos ZzzZzz.

3) Tinha de ser um livro grande, porque acho que vou morrer lá para os 90. Não sei, a série Em Busca do Tempo Perdido? Os Dostoievskis não, que já sei como acabam todos.

4) Ando a tentar botar as mãos nos valter hugo mães e Peixotos para ver se percebo qual é a afobação, mas nunca os apanho na biblioteca e eu não compro livros.

5) Aparentemente, nenhum. Deixei esta resposta para o fim e ainda não me ocorreu um só. Os da Disney acabam com o «felizes para sempre»...

6) Também lia os rótulos todos (ainda hoje o faço, junto com as fichas técnicas). Mas gostava mesmo era dos Tio Patinhas, Os Cinco, as Anitas, O Grande Livro de Perguntas do Charlie Brown, o Livro dos Dinossauros, o ABC da Saúde do Reader's Digest...

7) Ui, tantos (sou licenciada em Letras. A monumental seca de bibliografia que me deram a ler encheria resmas e resmas), mas vá, O Orlando, da Virginia Wolf. Estava mesmo a tentar gostar daquela porra, até li duas vezes a ver se tinha perdido alguma coisa no meio do tédio. Nah.

8) La vie devant soi (Emile Ajar). Fábula de Veneza (Hugo Pratt). Os Maias (need I say?).

9) World Without End (Ken Follet). Podia chamar-se "Book Without End", porque tem 1200 e tal páginas. Mas lê-se benzoca. Faz é doer os braços.

19) Meme literário. Méééé.

Sérgio Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mak, o Mau disse...

Epá, isso é de extremo mau gosto Prezado. Sabes perfeitamente que eu não sei ler...

Pólo Norte disse...

Respondido.

Prezado disse...

Pá, gosto de dar trabalho, sinto-me mais importante e esperto... No trabalho não consigo ser nem uma coisa nem outra.

Anónimo disse...

Não preciso de ver a capa do livro, já li todos. Esse Senhor é um génio da literatura mundial, certamente não está à sua altura. Lamento profundamente...

Maria Papoila disse...

E agora levaste com mais um selo bem larilas!

Graças a mim, no fundo. Fico feliz.

Prezado disse...

Eu estava a pedi-las... eu tenho cara de quem usa selos fofos? Mas espera. é que eu tenho uma cena, que é o Photoshop. Vais ver o que acontece ao selo...