quinta-feira, setembro 30, 2010

Lounge

Ontem aterrei num lounge queque. O segundo numa semana. É obra.
O Prezado tem a mania que é um homem do mundo e que sabe estar em todo o lado, por isso é raro virar a cara a conhecer um sitio novo:
Design Hotel, o que para um designer, pouco tem de design. Não me diz nada. Jarros maiores que eu à entrada. Mais jarros estranhos a seguir. Vidros. Cadeiras que não dão jeito. Sinalética da casa de banho do tamanho de uma moeda de 2 euros. Sem música. Ou com música sofrível. No fundo, um espaço impessoal, para pessoas impessoais.
Com este género de ambiente, o gosto já passou para tolerância e a tolerância está a chegar ao mínimo. Lounges anémicos, quinze minutos, no máximo.

22 comentários:

Capitu disse...

O menino não percebe nada das novas correntes estéticas nas artes decorativas!

Capitu disse...

Mas deixe lá, que eu também não. Vê?! Não está sozinho no mundo...

Prezado disse...

Pitu, vamos abrir um hotel-xungaria-kitsch?

Podes ficar como RP.

senhorita valdez disse...

mas tu só sabes refilar? chiça http://cdn.stereogum.com/mp3/The%20Muslims%20-%20Nightlife.mp3

Prezado disse...

Ando desiludido com a vida, nem lounges de luxo me tiram a amargura. Obrigado pela banda sonora.

senhorita valdez disse...

típico dos designers: são tão divas (também sei generalizar vÊs?)

Prezado disse...

Gajas, sempre a procurar demonstrar alguma coisa...
Eu também.

Mak, o Mau disse...

Se um dia o pós-modernismo cool instituir que usar um penico na cabeça está in, rapidamente se passará a chamar "Urban crafty piss-off hat" e muita gente o defenderá...

Prezado disse...

O extremo do cool é como o extremo da arte, nunca sei quando estão a gozar comigo.

Maya disse...

Sítios minimalistas e arrumados demais não dão vontade de estar em. Alguma desordem precisa-se. De resto, à semelhança da nossa cabeça.

Prezado disse...

Não é para nos sentirmos à vontade, no fundo. É para ser diferente.

...lembro-me de começarmos a gozar, a dizer que a mesa parecia um iPhone. Demasiado vidro preto.

xuxidiva disse...

um hotel é muito ambicioso...mas uma pousada hosteliana kitshchsh (que é um nome meio borbulhante) retro-chic-burlesco agrada-me deveras...é um dos sonhos de um gajo alias, em Lisboa, bien sur. Quando um gajo regressar do seu exilio a velha e amada Patria. (ie, se ainda houver Patria quando um gajo voltar)

Cuca disse...

Há lá coisa mais confortável que o minimalismo?

Prezado disse...

Provavelmente a minha cama, para onde irei já de seguida.

Anónimo disse...

Pelo menos a comida era boa.

Prezado disse...

olá, tás boa?

Era óptima. E a companhia também. Pena ficar cansada tão cedo.

...Esqueci-me de falar do gelado com sabor a sabonete, agora lembrei-me.

Malena disse...

Cá entre nós: Tu és queque, não és? :p

Prezado disse...

Só porque tenho um blog com estilo? Preconceito.

Malena disse...

Eheheh! Ou és como a Ursa que é cupcake? :P

Prezado disse...

Eu sou pirâmides, xadrês e garibldis. Mais nada.

Cuca disse...

Isso tudo já é muito!

Cuca disse...

Isso tudo já é muito!