sexta-feira, outubro 01, 2010

Dia da depressão, é?

Esqueçam o post anterior. Deixo aqui o manual do urbano-depressivo. A versão está aberta a actualizações, só porque vem da cabeça de um trintão.

Manual do urbano-depressivo para dias deprimentes serem mais deprimentes

  1. Fechem as janelas, a luz do sol é irritante. Além disso, ganham aquele tom niveo de dama-das-camélias que é apanágio dos deprimidos.
  2. Procurem andar à chuva. Aumenta as probabilidades de ficar doente. Aceitem a chuva como castigo divino por serem quem são.
  3. Pouco banho. Toda a gente sabe que aprumo ajuda a sair da fossa.
  4. Roupa preta. Cuecas incluidas.
  5. Escrevam poesias. Mas guardem-nas, podem ser usadas contra vocês mais tarde.
  6. Releiam cartas de amor antigas. Toda a gente as tem, e como o outro disse num tom mais sério que não deixa de ser verdade apesar dele próprio escrever melhor ser poeta e rabiló, elas nunca deixarão de ser ridículas.
  7. Vão a bares escuros e que vos obriguem a andar muito para chegar lá.
  8. Docs ou outros sapatos desconfortáveis. Se usaram ortopédicos quando eram putos, força. Vai-vos lembrar desses tempos que sempre quiseram esquecer.
  9. Fumem. Muito. Acendam uns nos outros, de preferência.
  10. Gajos podem usar risco nos olhos.
  11. Pensem naquela pessoa especial que não deu em nada.
  12. Aquela com que nunca resultou.
  13. Aquela que podia ter sido qualquer coisa e não foi, só porque o vizinho do 5º esquerdo era mais velho.
  14. Acima de tudo, lembrem-se todas as que ficaram entaladas.

E depois, ouçam musica à altura:



Bom fim de semana a todos.

5 comentários:

Malena disse...

Porra!

Cat disse...

Muito bom.
Eu aliás sem saber que hoje era o dia dos deprimidos, acordei a sentir-me abaixo de cão, e até segui a sugestão a roupa preta. Vou continuar pela noite fora a deprimir-me com muita cerveja, boa música e a companhia de amigos. Achas que ajuda?

Prezado disse...

De certeza. Eu vou seguir esse mesmo regime, hoje. E amanhã.

Cuca disse...

Credo! Tu não brincas em serviço!!

Prezado disse...

Sobrevivi.