sábado, outubro 27, 2012

Só naquela

Pá, não alimentem o monstro do Halloween. Não há coisa que me meta mais nojo que esta facilidade com que nos tentam dar palha. Entrar num supermercado e encontrar aboboras com olhos deixa-me fodido. Não temos nada com essa merda. É giro, é coiso, mas é lá nos filmes e nos desenhos animados. Karma, espero que um dia haja action-figures de Caretos de Podence à venda em N.Y.

13 comentários:

Clara disse...

foste muito conservador neste post.

só faltava agora uma defesa acérrima das "nossas tradições" como o pão por Deus.

Prezado disse...

Não tens seguido o conceito aqui no estaminé? O caminho da esquerda é o nacionalismo, o capitalismo imperialista americano é que é globalizante.

Xuxi disse...

o que é os Caretos de Podence? estou aberta a novas ideias de negócio!

calhou calhar disse...

Prefiro 1000x o nosso "dia dos finados"/"todos os santos".
Ainda me lembro dos "bolinhos, bolinhós" :)

Mariam disse...

Podes crer. O Pingo Doce perdeu o juízo, mas também o sentido de justiça (por causa da cena dos 20 euros para usar MB, mas passaram-se?).

Clara disse...

sei bem que és marxista mas se não me engano o halloween é uma tradição anglo-saxónica.

Prezado disse...

Não pertenço a nenhuma seita.
Mas somos Anglos ou Saxónicos?

Prezado disse...

Xuxi, Caretos de Podence é carnaval à portuguesa.

Jibóia Cega disse...

Xuxi, uma coisa capaz de levar qualquer um à prisão :)

Jibóia Cega disse...

Nos, E.U.A., claro! ;)

Xuxi disse...

hahaha pois, é uma cena transmontana meio tribal(os romenos tb tem isso tem graça, mas pelo ano novo), tive de ir googlar porque não sabia, só conhecia os cabeçudos e os pereiras...pois isso aqui é capaz de não pegar tão bem, até porque os mexicanos já preencheram essa lacuna

Espiral disse...

Eu acho graça ao "pão por deus"

Na minha rua vão imensas crianças na manha de 1 de Novembro. E lá tou eu a dar-lhes saquinhos de doces que faço para todos.
Eu gosto, é giro, as crianças ficam felizes. É é uma mistura do nosso pão por deus com o hallowen (dou gomas com formas assustadoras e assim)

Crente disse...

Dos 3 "Só naquela" só não concordo com este. O Halloween foi feito lá em casa, para o catraio e os vizinhos. Mascarou-se, preparou a abóbora (vai comer sopa de abóbora todo contente, porque ajudou a preparar) e tocou em duas campainhas. E portou-se que nem um anjo durante a semana anterior com receio de ficar sem Halloween por castigo. Se não fosse mãe, nem me lembraria deste dia, claro está.