segunda-feira, agosto 05, 2013

Crowdfunding explicado às crianças

Eu também quero ajuda para ser rico.
O pessoal pós-moderno atrapalha-se ainda com algumas coisas das interwebs. Há algumas campanhas portuguesas de crowdfunding que tenho acompanhado e pautam-se por uma postura comum,  em parte dentro do pensamento manda-o-email-por-fax - explico o pensamento "manda-o-email-por-fax": é viver na hiperconectividade mas ainda com o pensamento da revolução industrial - que rege muita gente ainda, outra parte dentro de uma certa candura que olha para o crowd-funding como uma espécie de árvore-das-patacas-online, que se abana 2 vezes e já está. Não custa tentar abaná-la, por isso lá vão.
Explicando isto, estou também a ajudar a promover a campanha de donativos do Le Monde Diplomatique, e talvez consiga apelar a mais alguém a fazer uma doação, e embora temendo que não aconteça, vou ajudar na mesma. Por isso, cá vai um B-A-Bá do crowdfunding.
Pessoal do Le Monde Diplomatique:
  • o vosso nome não ajuda nada. Têm um nome pomposo, que em nada indica que precisem de dinheiro
  • O texto é demasiado longo para campanha. Perdi-me a ler aquilo tudo.
  • Como é sabido, indicar um valor de referência ajuda os users ( não são "leitores", isso já era ) a fazer uma decisão. Apesar dos users precisarem de dicas, não são estúpidos. Se colocar "notas de 500 euros" a bold resultasse, não havia pedintes. Geralmente indicam-se valores estratificados, para que todos encontrem um valor com que se sentem confortáveis: 1€, 5€, 20€, 50€, 100€ e além. Humildade fica bem, também.
  • Ok, mas eu vou doar ainda assim. Mas, para quê? não sei. "ajude-nos no combate à crise. "( Nesta altura comecei a pensar "ahahaha é na galhofa isto, grandas malucos ahahaha" ). "É investimento", dizem. Mas não recebemos nada de volta, pelo que dizem. Digam o que todos podemos ganhar ajudando o Le Monde Diplomatique.
  • Ajudem quem quer dar. É certo que em Portugal o Paypal quase não é usado, mas temos o MBnet que é dos melhores sistemas que existe. De qualquer forma, chego ao próprio site do Le Monde e não tenho mais detalhes nem outras formas de pagamento. 
  • Dêem algo de volta. Se calhar já dão, mas eu não sei. Gabem-se disso.
  • Finalmente, e esta é a mais importante, porque já não é nova: Não peçam ajuda para ser ricos. Não é para isso que serve o crowdfunding, apesar de muito provavelmente até funcionar, dependendo da vossa imagem ou projecção nos media. Promovam a campanha o máximo possível - em Portugal vão aparecer no telejornal, é garantido - mas não digam que precisam de ajuda para combater a crise. Isso precisamos todos.
Se acham que este pedaço de prosa escrito de um modo tão sério vos ajudou de alguma forma a melhorar uma campanha de crowdfunding, sugiro um donativo simbólico, 1€ para o PPC. O botão está ali em baixo, à direita. Ou clickem aqui.

Sobre crowdfunding no geral deixo aqui estes links, ultimamente aconteceram coisas importantes. Houve abusos, má gestão, e muito gozo.

3 comentários:

São João disse...

Isso foi um gajo qualquer que meteu o seu próprio nib para comprar umas mines.

Prezado disse...

Isso é o conceito do MEU botão. Mas o meu funciona mesmo.

Mak, o Mau disse...

Eu acho que isso é um poço sem funding de erros.


Mas eu também só queria aproveitar a ocasião para usar a expressão poço sem funding, portanto isto vale o que vale.