sexta-feira, junho 18, 2010

Andei a ver casas

Ando há algum tempo à procura de casa na Lisboa típica. Este Lambert é uma maçada de perfeição e eu com os meus tiques de esquerda, sinto-me um traidor à classe operária, vivendo neste palacete com uma sala forrada a âmbar e torneiras banhadas a ouro. Não é o luxo que me distância do povo, mas não ajuda. Só a partilha do esforço e da labuta diária me fará libertar das grilhetas do imperialismo lambertiano a que me subjuguei, incauto.
É porém digna de nota a seguinte particularidade das casas que me mostraram: Largos buracos teimam em rasgar paredes dignas e lisas, mostrando as entranhas destes prédios mantidos arduamente por pessoas simples e de trabalho. De notar que esta ingénua e simples gente, de tão simples que é, confunde ou teima em confundir humidade com humildade, mostrando-a quase com orgulho.

Tenham paciência, quero deixar isto bem claro: Casas baratas não implicam estarem todas fornicadas como se tivessem albergado Louva-a-Deus gigantes comedores de estuque da 7ª dimensão durante 50 anos. É simples.

5 comentários:

a, disse...

lindo.

Dora disse...

Eu pagava 675€ por um T2 nos Anjos, com um cheiro a humidade que nãos e podia e com os armários da cozinha a desfarem-se...
Isto há 2 anos. Já está mais caro.

Prezado disse...

eu não curto humidade. O meu alergologista disse-me que os efeitos secundários de morrer de alergia são fodidos para a minha vida social.

Pipoca dos Saltos Altos disse...

Despacha lá isso que quero ir à festa de inauguração.

Tulipa disse...

Boa sorte é o que te desejo...não vai ser fácil.